Notícias | 27 de novembro de 2016

NOTA DE APOIO À OCUPAÇÃO DO PRÉDIO DA PSICOLOGIA E SERVIÇO SOCIAL DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

27 de novembro de 2016

Governar, educar e psicanalisar são os três “ofícios impossíveis”, como propõe Sigmund Freud. Impossíveis, saiba-se, se exercidos desde o lugar de mestria - se sustentados por um discurso totalitário que promove o apagamento da singularidade e da contradição. Na atual conjuntura política brasileira temos visto um adensamento desta modalidade discursiva, a propagação de discursos de ódio e descrédito da alteridade.

Como forma de resistência a esta lógica, alunos secundaristas e universitários em todo Brasil têm ocupado os locais de ensino nos quais são estudantes. Desta forma, parece-nos, estes jovens têm evidenciado o esgotamento do discurso do mestre totalitário, explicitando os seus excessos.

Estes alunos pautam a preocupação com as chamadas PEC 241/55, a PLS 193/2016 (“Escola sem partido”) e a reforma do Ensino Médio propostas pelo Governo Temer.

Nós, associados da ASSOCIAÇÃO PSICANALÍTICA DE PORTO ALEGRE, acreditamos que esta preocupação dos alunos dos Cursos de Psicologia e de Serviço Social da UFRGS é um legítimo, necessário e corajoso posicionamento frente ao atual contexto sócio-político em que vivemos. 

Desta forma, publicamos esta nota em apoio a este movimento, na aposta conjunta pela recolocação da palavra em sua potência crítica e democrática.

 

Associação Psicanalítica de Porto Alegre e Instituto APPOA

27 de novembro de 2016



voltar